quinta-feira, 28 de junho de 2018

Veja o MAL que representa a prática e influencias da homossexualidade


A NEGAÇÃO CÍNICA DA REALIDADE COMO UMA FORMA DE CENSURA OU A MORDAÇA GAY DA ELITE GAYZISTA NO BRASIL

Esdras Emmanuel Lins Maia[1]


            Já faz alguns meses que, a pedido do Rev. Alberto Thieme, Presidente da ADHT – Associação de Defesa da Heterossexualidade, tenho realizado o planilhamento em tabela de “Excel” dos dados mais importantes das trocas de e-mails que ele tem mantido nos últimos anos com mais 800 pessoas que sofrem com o desejo e a prática homossexuais a título de auxílio que eles prestam a estas pessoas através do ministério DefesaHetero. Portanto, foi este trabalho que proporcionou a oportunidade de aproximar-me de assunto tão atual e delicado que envolve o homossexualismo, a ideologia de gênero e a liberdade de expressão e religiosa.
            Para se ter uma ideia real do que se passa internamente a estes indivíduos,  grande parte dos conteúdos dos e-mails enviados assumem um caráter de desespero e não é, de modo algum, incomum expressarem pedidos de socorro e relatarem ameaças e tentativas factuais de suicídio e isto, declaradamente, em razão de não mais desejarem conviver na condição prática ou fortes desejos homossexuais que apresentam. Disto, depreendemos o sofrimento intenso psicológico e/ou espiritual a que estão sujeitas estas pessoas com seus sentimentos de vergonha, não aceitação, autodepreciação e frustração, bem como criando campo propício para o surgimento de doenças físicas tambem. Pois, desejam sentir atração pelo sexo oposto ou complementar, casar e constituir família, muito embora sintam-se frequentemente incapazes disto por questões supostamente fisiológicas e por não desejarem ser desonestas com outra pessoa.
            Sendo assim, em meio as centenas de casos que tenho acompanhado através da troca de e-mails entre a ADHT/Rev. Thieme e homossexuais de todo o país. A fim de exemplificar, gostaria de trazer a baila dois casos específicos que me parecem emblemáticos. O primeiro deles está relacionado a um rapaz de cerca de 20 anos, que foi abusado pelos amigos do irmão quando contava apenas 10 anos de idade e que presenciou o sucídio do seu pai, ateando fogo ao seu próprio corpo. Este jovem vem tentando há quase uma década, segundo suas próprias palavras, ser liberto desse transtorno, referindo-se a homossexualidade. Ele menciona seu sofrimento com a angústia, depressão e desespero, pois, além de não desejar a homossexualidade,  apenas havia sido enganado com falsos e dispendiosos tratamentos. Outro caso ilustrativo expõe a experiência de um evangélico e cantor gospel, o qual, além de apresentar-se em boates gay também o fazia em igrejas evangélicas homoafetivas ou inclusivas, havendo se envolvido ativamente na prostituição homossexual profissional e na realização de filmes pornográficos. Em suma, tal como o primeiro, ele menciona sentimentos de vergonha e sofrimento para si mesmo e para seus familiares, além do desejo intenso de abandonar as práticas homossexuais para, finalmente, viver uma vida heterossexual normal ou padrão.
            Na verdade, boa parte destes indivíduos são adolescentes e jovens, os quais, cada vez mais cedo, têm sido escolhidos como o alvo preferido da militância gayzista apoiada pelos socialistas e sua ideologia progressista. Ao serem cultural ou ideologicamente influenciados e psicologicamente manipulados, mesmo dentro de escolas públicas e particulares desde a mais tenra idade (como expõe Pascal Bernardin no seu livro Maquiavel Pedagogo), eles terminam condicionados ao desejo e à prática homossexuais. Contudo, dando-se conta de que se tornaram presas de uma armadilha sutil e ardilosa, passam a desejar o regresso à heterossexualidade, muito embora, amiúde, já não encontrem mais em si mesmos forças para se libertarem sozinhos da prática homossexual. Desta forma, em busca de libertação, deparam-se com blogs escassos tais como os da Associação para Defesa da Heterossexualidade (ADHT) onde encontram, no entanto, farto material contendo muitos pedidos de ajuda feitos por outros jovens e adultos que desejam abandonar a homossexualidade, além de testemunhos de outros tantos que venceram o desafio e daqueles que, havendo-o aceitado, todavia estão em proceso de libertação.
            Além das escolas, sem qualquer esforço, observamos um verdadeiro "milagre" da multiplicação do ativismo gay no mundo, especialmente no Brasil onde se proliferam ONGs, associações, bares, boates, e saunas gays, além das festas e paradas em comemoração e exaltação à sodomia e a todo tipo de perversão sexual ou libertinagem sob o manto conveniente da diversidade, do pluralismo e da liberdade de expressão. Evidentemente, esta estratégia visa criar uma cultura espúria que influencie a sociedade, mormente as crianças e adolescentes os quais, ainda em formação, são os mais vulneráveis a tudo isso. Por outro lado, não se trata aqui, diga-se de passagem, da proibição autoritária da homossexualidade, visto ser este um fenômeno que se tornou "natural" - assim como a injustiça, a impureza, a idolatria, o adultério, a devassidão, a corrupção, a bebedeira, a difamação, etc (1Co. 6:9,10) -  em razão do evento histórico, capital e determinante da Queda do Homem narrada em Gênesis capítulo 3 e aludida em toda Bíblia, muito pelo contrário, trata-se, isto sim, da defesa do direito da maioria atacada e violentada com extremo desrespeito, virulência e agressividade.
            Em meio a estes eventos, é realmente flagrante a postura da grande mídia nacional e internacional e da academia brasileira - especialmente em cursos de psicologia psicanalítica ministrados mesmo dentro de instituições que se declaram cristãs - que se calam, negam e rejeitam a realidade exposta neste texto, militando ideologicamente contra a liberdade do indivíduo de retornar a sua orientação sexual original, a heterossexualidade. Seria impossível compreender porque certas coletividades ou entidades sociais e seus representantes (que costumam arvorar a bandeira da liberdade de expressão) atentam contra a liberdade de escolha de indivíduos como se não soubéssemos a respeito da existência de uma agenda global metacapitalista ou socialista fabiana que financia os movimentos de esquerda no Brasil e mundo afora.
            Portanto, são plenamente justificáveis medidas como esta do MM. Juiz Federal Waldemar Cláudio de Carvalho que, interpelado por uma ação popular realizada por mais de 30 psicólogos, determinou, em decisão liminar do dia 15 de setembro de 2017, que o Conselho Federal de Psicologia (CFP) não mais interprete sua própria Resolução 01/99 de forma inconstitucional e dolosa, proibindo aos psicólogos no atendimento a para a reorientação ou reversão sexual dos indivíduos que assim o desejarem. Portanto, como se pode perceber com a mais absoluta obviedade ululante, o juíz tão somente corrigiu uma patente injustiça cometida pelos Conselhos de Psicologia que, na verdade, deveria preocupar-se com as pessoas, com seus direitos, com sua liberdade e com sua saúde mental e física e não privá-las, por meio de militância ideológica, de serem ajudados a realizar suas novas escolhas. Quem acompanha minimamente a perseguição religiosa ou filosófica que sofre a psicóloga Marisa Lobo, o ex homossexual Claudemiro Ferreira, o Pastor Silas Malafaia e o Dep. Fed. Jair Bolsonaro, entre outros, sabe do que estou falando.
É portanto necessário uma urgente ação do Ministério Público e dos Três Poderes tornar definitivo esta liminar imposta pelo MM. Juiz acima identificado para garantir definitivamente a liberdade dos psicólogos e bem como dos homossexuais de serem assistidos por um psicólogo.

Referências

BERNARDIN, Pascal. Maquiavel Pedagogo - ou o ministério da reforma psicológica. Rio de Janeiro: ECCLESIAE & VIDE EDITORIAL, 2013, 119p. Disponível em:<http://www.univas.edu.br/menu/BIBLIOTECA/servicosOferecidos/livrosDigitalizados/pedagogia/MaquiavelPedagogoPascalBernardin.pdf>. Acesso em: 28 de set. 2017.

CESAR, Marília de Camargo. Entre a cruz e o arco-íris: a complexa relação dos cristãos com a homoafetividade. Belo Horizonte: Ed. Gutemberg, 2013, 184p. Disponível em:<http://asdfiles.com/Xsw>. Acesso em: 28 de set. 2017.

G1 MATO GROSSO. Pastor que ficou conhecido por ser ex-travesti morre em Cuiabá: Joide Miranda estava internado em hospital particular da capital.
Ele defendia que era possível deixar de ser homossexual e causou polêmica. Jun. 2016.
Disponível em:<http://g1.globo.com/mato-grosso/noticia/2016/06/pastor-que-ficou-conhecido-por-ser-ex-travesti-morre-em-cuiaba.html>. Acesso em: 28 de set. 2017.

Pr. Joide Miranda ex-homossexual - ex-travesti - testemunho - completo. Direção: Aloecil. Produção: Flavinho Batista. Testemunho pessoal, 1o27'50". Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=Hc6AZ23I5oM>. Acesso em setembro de 2017.

 

SEÇÃO JUDICIÁRIA DO DISTRITO FEDERAL. JUÍZO FEDERAL DA 14a VARA. Ata de Audiência de Justificação Prévia dos Autos da Ação Popular n. 1011189-79-2017.4.01.3400, partes envolvidas como autores: Rozangela Alves Justino e Outros e como réu: Conselho Federal de Psicologia - C.F.P., 15 de setembro de 2017. Disponível em:<http://site.cfp.org.br/wp-content/uploads/2017/09/Decisão-Liminar-RES.-011.99-CFP.pdf>. Acesso em: 28 de set. 2017.

SEVERO, Julio. O Movimento Homossexual: Sua história, suas tramas e ações, seu impacto na sociedade, seu impacto na Igreja. Belo Horizonte: Ed. Betânia, 1998, 97p. Disponível em:<http://juliosevero.blogspot.com.br/2011/09/livro-o-movimento-homossexual-agora.html>. Acesso em: 28 de set. 2017.

SOARES, Claudemiro. Homossexualidade masculina: escolha ou destino? Brasília: Ed. Thesaurus, 2008, 258p. Disponível em:<http://docs11.minhateca.com.br/437063146,BR,0,0,Claudemiro-Soares---Homossexualidade-masculina.pdf>. 

sexta-feira, 4 de maio de 2018

E-BOOK - A Busca Pela Masculinidade: Uma Conquista

E-BOOK - A Busca Pela Masculinidade: Uma Conquista




E-BOOK - A Busca Pela Masculinidade: Uma Conquista. R$9,90. Adquira o seu pelo link: https://go.hotmart.com/B7784524W
Os meninos estão em grandes dificuldades. A caminhada em direção à masculinidade tem sido árdua demais. Alguns destes meninos se perdem no caminho e pegam um atalho. Sem um mapa nas mãos podem adentrar atalhos que levam a lugares perigosos. Saulo Navarro conta neste e-book sua própria experiência de vida onde descreve quais fatores o levou a fazer um caminho que distorceu sua identidade e sexualidade e compartilha das experiências que o trouxeram de volta a sua verdadeira masculinidade.

segunda-feira, 30 de abril de 2018

Atentado ideológico contra as crianças e suas famílias

29 de abril de 2018

Atentado ideológico contra as crianças e suas famílias


Atentado ideológico contra as crianças e suas famílias

Julio Severo
O menino chega em casa da escola e a mãe lhe pergunta: “Como foi sua aula hoje, Joãozinho?” O menino dispara: “Meu nome é Maria! Maria!”
Perplexa, a mãe diz: “Isso é alguma brincadeira, Joãozinho?” O menino dispara novamente: “Pare de me chamar de Joãozinho. De hoje em diante, sou Maria!”
Atônita, a mãe lhe pergunta como foi que ele começou a se ver como Maria. O menino explica que na escola a psicóloga orientou que ele precisava se aceitar em suas confusões sexuais e uma nova lei estabelece que meninos que se enxergam como meninas têm direito de usar nome de mulher.
Essa é a realidade que os pais e mães no Brasil enfrentam com uma nova lei em vigor desde janeiro deste ano. A nova lei impõe que as escolas públicas, particulares e cristãs são obrigadas a aceitar que alunos do sexo masculino que se identificam como mulher tenham seus nomes femininos plenamente aceitos.
A denúncia, que foi feita pelo Professor Orley José da Silva e pela Dra. Viviane Petinelli, encontra-se no artigo intitulado “Consequências do nome social para a educação brasileira.”
Embora, tecnicamente, seja preciso a autorização dos pais para um menino usar nome de mulher na escola, num conflito de interesses entre criança e escola entra o Conselho Tutelar, que — com o pretexto de trabalhar pelos melhores interesses das crianças — efetivamente trabalha para a máquina de doutrinação e formatação ideológica do Estado.
Joãozinho pode chegar em casa dizendo que é “Maria” e que precisa da autorização de seus pais para obrigar todos os professores e colegas a tratá-lo como “Maria.” Se os pais disserem “não,” Joãozinho pode ameaçar: “Vou recorrer ao Conselho Tutelar. Eles vão decidir isso na marra!”
Cedo ou tarde, os pais que não concordarem com as vontades de um filho que foi ideologicamente doutrinado na escola terão de comparecer diante do tribunal do Santo Ofício do Conselho Tutelar para serem forçados a aceitar tal doutrinação.
Os pais que já são perturbados alegremente consentirão em que seus meninos usem nome de meninas. As escolas particulares, públicas e cristãs não terão voz nem vez: por causa de uma lei fascista, terão de aceitar bovinamente a cena bizarra de um menino psicologicamente desajustado exigindo ser chamado de “Maria.”
Onde isso vai parar? Quer dizer que se por influência ruim um menino começar a usar drogas, os pais e as escolas deverão aceitar as novas inclinações da criança ou adolescente se burrocratas do Estado decidirem que drogas são boas? A função prioritária dos pais, que devem ser auxiliados pela escola, é ajudar as crianças a evitar influências erradas, seja sobre drogas e perversões sexuais, inclusive homossexualidade.
Ver agora o Estado impondo como normal e obrigatória a homossexualidade em crianças e adolescentes na escola, passando por cima das famílias, é fascismo. É ditadura ideológica. É o Estado contra as famílias.
O Estado está cada vez mais reduzindo os direitos dos pais de guiarem seus filhos, inclusive tendo já, no governo do PT, criminalizado a disciplina física com varinha, chinelos e a palma da mão. E está inventando mais e mais “direitos das crianças” a todos os tipos de perversões e rebeliões.
Se o Estado minimamente pensasse no bem-estar das crianças, adotaria ações concretas contra a doutrinação homossexual nas escolas e meios de comunicação, que fazem propaganda homossexual fascista. Mas em vez de coibir tal propaganda enganosa e danosa, o Estado se torna o implementador do fascismo homossexual.
Se os pais não lutarem pelo bem-estar de seus filhos, os fascistas provocarão mal nas escolas e famílias.
Leitura recomendada:

quarta-feira, 7 de março de 2018

CUIDADO PAIS:"Médicos denunciam: Ativistas Gays estão RECRUTANDO E MANIPULANDO NOSSAS CRIANÇAS!

CUIDADO PAIS:"Médicos denunciam: Ativistas Gays estão RECRUTANDO E MANIPULANDO NOSSAS CRIANÇAS!

Médicos denunciam que ativistas estão recrutando e manipulando crianças para que se identifiquem transgênero

Publicado por Tiago Chagas  
Uma denúncia realizada por profissionais ligados à saúde denunciou a ação coordenada de ativistas gays nos Estados Unidos para recrutar e influenciar crianças a acreditarem e afirmarem que são transgênero.
Surpreendentemente, o grupo que fez a denúncia é formado por “psicólogos, médicos, especialistas em ética médica, acadêmicos e assistentes sociais” simpatizantes à causa gay e filosoficamente alinhados com os ideais de esquerda.
“Estamos alarmados pela tendência entre os profissionais de saúde mental em aceitar o autodiagnóstico de uma pessoa jovem como transgênero, com o mínimo estudo psíquico sobre isso”, alertaram os profissionais, ligados ao grupo Youth Trans Critical Professionals (YTCP).
De acordo com informações do Christian Post, a nota foi publicada na página oficial da YTCP e destaca que “em muitos casos, esses jovens passam a se identificar como transgêneros em sitesde mídia social como o Tumblr, Reddit, ou YouTube, após participarem de farras”, e acrescentou: “Há evidências de que os jovens vulneráveis estão sendo ativamente recrutados e treinados para afirmarem em tais sites que eles são transgêneros”.
A denúncia explica ainda que os casos precocemente diagnosticados como incompatibilidade com gênero biológico, podem ser, na verdade, problemas psicológicos clássicos: “Em muitos casos, estes jovens podem estar sofrendo com problemas, tais como ansiedade ou depressão, que os tornam presas fáceis para as táticas ‘cult-like’ desses ativistas transgêneros online“, apontaram.
Assim, o YTCP passou a expressar sua preocupação com a oferta de cirurgias de mudança de sexo e tratamentos hormonais em pessoas muito novas, pois é provável que essas decisões sejam tomadas sem a certeza a respeito da homossexualidade. “Nossa preocupação é com relação a crianças e jovens. Nós sentimos que cirurgias desnecessárias e/ou tratamentos hormonais que não tenham segurança comprovada a longo prazo representam riscos significativos para os jovens. As políticas de incentivo – direta ou indiretamente – tais como tratamento médico para os jovens que não são capazes de avaliar os riscos e os benefícios são altamente suspeitas, em nossa opinião”, pontuou a nota.
O grupo ainda se queixou da legislação em alguns estados dos EUA, em que profissionais de saúde mental são impedidos, em alguns casos, de explorar adequadamente os problemas subjacentes, que podem levar alguns jovens a acreditarem de maneira equivocada que são transgênero: “Em vários estados, existe agora a legislação que proíbe terapeutas de se envolverem na terapia de transição. Enquanto o sentimento por trás desta legislação parece louvável, em alguns casos, ela está sendo interpretada como algo que proíbe, terminantemente, que os terapeutas explorem a identidade de gênero dos jovens que estão afirmando serem transgênero”, lamentaram os profissionais. A restrição é muito semelhante à sofrida por psicólogos brasileiros, que são proibidos pelo Conselho Federal de Psicologia (CPF) de receberem pessoas que busquem, voluntariamente, ajuda para abandonar a homossexualidade.
“Isso significa que não podemos perguntar o por quê, não podemos explorar as questões de saúde mental subjacentes, não podemos considerar a natureza simbólica da disforia de gênero e não podemos olhar para possíveis problemas de confusão, tais como uso de mídia social ou contágio social. Chegou o tempo para que profissionais da área de saúde mental e outros comecem a falar sobre este assunto”, acrescentaram. 

FONTE: GospelMais
ADENDO ADHT: VEJA O QUE FAZER!
Veja como agir para processar pessoas envolvidas em ativismo homossexual, pois estão agindo contra nossas leis e a Constituição Federal Brasileira. Instrua-se lendo mais neste link:
http://defesa-hetero.blogspot.com/2015/09/atencao-pais-procurador-de-brasilia-da.html#.V0pzl5ErLDc e outros artigos e vídeos postados no http://defesa-hetero.blogspot.com.

segunda-feira, 6 de novembro de 2017

10 segredos para vencer o vício em pornografia e masturbação

10 segredos para vencer o vício em pornografia e masturbação

É possível sim vencer o vício em pornografia e masturbação, pois é o que a palavra de Deus nos ensina (1 Coríntios 10:13).




10 segredos para vencer o vício em pornografia e masturbação

Caro leitor, eu entendo seu problema. É um grande problema e tem atingido milhões de homens e mulheres atualmente. O inimigo de nossas almas tem agido fortemente nessa área e o mundo também tem favorecido que esse tipo de vício aconteça e se mantenha. Mas é possível sim vencer o vício em pornografia e masturbação, pois é o que a palavra de Deus nos ensina (1 Coríntios 10:13). Para tanto, vou compartilhar dez segredos que vão te ajudar a não ser mais um viciado em pornografia e masturbação e, assim, conseguir ter a capacidade e a força necessárias para domar a força do vício quando ele aparecer.
Dica 1 – Conheça como funciona seu vício

Todos os vícios têm um funcionamento bem parecido em nosso corpo e mente e é importante que o viciado conheça isso para que saiba lidar com as dificuldades que o vício provoca. Dentro de nosso cérebro existe um mecanismo de recompensa. O que significa isso? Por exemplo, quando comemos um chocolate ou fazemos algum exercício, substâncias são liberadas em nosso corpo que nos dão a sensação de prazer. Essa é a “recompensa” por fazermos aquela determinada coisa. Os vícios, em geral, agem nessa área do cérebro. A nossa área sexual nos dá muito prazer e, quando a estimulamos, esses mecanismos de recompensa provocam sensações deliciosas. Por isso, se masturbar é algo tão gostoso. E por ser gostoso seu corpo começa a desejar mais e mais desse prazer e você começa a ficar viciado nisso, desejando, se possível, ter toda hora essa sensação de bem-estar (custe o que custar). É nesse momento que ocorrem os desequilíbrios que nos prejudicam, pois, a força da vontade de ter o prazer nos faz usar o pecado como fonte desse prazer (acessando pornografia, por exemplo).
Dica 1 – Conheça como funciona seu vício

Todos os vícios têm um funcionamento bem parecido em nosso corpo e mente e é importante que o viciado conheça isso para que saiba lidar com as dificuldades que o vício provoca. Dentro de nosso cérebro existe um mecanismo de recompensa. O que significa isso? Por exemplo, quando comemos um chocolate ou fazemos algum exercício, substâncias são liberadas em nosso corpo que nos dão a sensação de prazer. Essa é a “recompensa” por fazermos aquela determinada coisa. Os vícios, em geral, agem nessa área do cérebro. A nossa área sexual nos dá muito prazer e, quando a estimulamos, esses mecanismos de recompensa provocam sensações deliciosas. Por isso, se masturbar é algo tão gostoso. E por ser gostoso seu corpo começa a desejar mais e mais desse prazer e você começa a ficar viciado nisso, desejando, se possível, ter toda hora essa sensação de bem-estar (custe o que custar). É nesse momento que ocorrem os desequilíbrios que nos prejudicam, pois, a força da vontade de ter o prazer nos faz usar o pecado como fonte desse prazer (acessando pornografia, por exemplo).


Dica 2 – Por que você acessa pornografia e se masturba?

Sempre existe um gatilho que te leva ao vício. Em pesquisas com dependentes químicos de drogas mais pesadas já foi descoberto que o gatilho para que as pessoas cheguem até essas drogas geralmente é uma droga mais “leve” como o álcool e o cigarro. Na masturbação acontece algo parecido, os gatilhos também estão ali. Muitas pessoas se masturbam e acessam pornografia freneticamente, pois estão muito ansiosas, passaram por decepções ou por verem diariamente imagens pornográficas. Esses são gatilhos que “disparam” o vício. Para vencer o vício em pornografia e masturbação é preciso identificar quais são esses gatilhos em sua vida.
Dica 3 – Tome atitudes contra os gatilhos que disparam seu vício

Identificados os gatilhos é hora de agir racionalmente contra eles. Imaginemos que você sempre se masturba quando vai tomar banho. A privacidade do seu banheiro, a água quentinha, a vontade de relaxar depois de um dia duro de trabalho, são os gatilhos que te levam a se masturbar e acessar a pornografia em sua mente. Para vencer esse gatilho você precisa interromper ou mudar algo nessa sequência de coisas que favorecem o seu vício. Tomar banho com a porta do banheiro aberta? Colocar um louvor no celular enquanto toma banho? Tomar banho na água fria? Talvez seja uma das possibilidades de quebrar esse ciclo. Outro exemplo: Você sempre cai na masturbação a noite, depois que todos foram dormir e você ficou acordado para assistir um pouco de tevê e relaxar e acaba acessando pornografia. Para quebrar esse gatilho evite ficar sozinho e peça para alguém colocar uma senha na tevê que não permita assistir programas para maiores de 18 anos. Não permita que os “gatilhos” do seu vício sejam acionados. Com isso você conseguirá vencê-lo com mais facilidade.
Dica 4 – Crie pequenas metas de resistência

Não é uma atitude muito inteligente achar que de hoje para amanhã conseguirá domar o seu vício para sempre. Para sempre é muito tempo. Por isso, faça pequenas metas de resistência que consiga cumprir. Que tal começar, por exemplo, com uma meta de uma semana sem acessar material pornográfico e se masturbar? À medida que ir conseguindo vencer as metas pequenas poderá ir ampliando-as e, assim, conseguirá criar novos hábitos que substituirão os antigos. No livro “O poder do hábito” o autor declara que um novo hábito demora cerca de 21 dias para ser formado e, assim, consegue substituir hábitos antigos.


Dica 5 – Não baixe a guarda diante de uma vitória

Vícios são traiçoeiros. Isso significa que se você der mole para ele, ele irá aparecer novamente e te escravizar de novo. Por isso, é muito importante que as metas de resistência sempre estejam em sua mente, funcionando e sem relaxamentos. Aqui cabe muito bem a palavra que Jesus disse aos seus discípulos: “Vigiai e orai, para que não entreis em tentação; o espírito, na verdade, está pronto, mas a carne é fraca.” (Mt 26:41). A carne é fraca, mas a comunhão com Deus e a vigilância dão a capacidade a ela de resistir. Nunca menospreze seu inimigo, ele já te venceu uma vez e pode fazer isso novamente! Não baixe a guarda.
Dica 6 – Esteja preparado para uma possível queda

Eu já assisti palestras a respeito de trabalho com dependentes químicos e todos os profissionais são unânimes: a maioria dos viciados acaba “caindo” em algum momento do tratamento. Isso também pode acontecer com aquele que está lutando contra o vício em pornografia e masturbação. Se acontecer uma queda faça o que deve ser feito. Vista-se de humildade, compareça diante de Deus e peça perdão (1 João 1:9). Depois levante a cabeça, refaça seus planos e lute decidido para que novas quedas não aconteçam. Quando Jesus perdoava alguém ele costumava dizer para essa pessoa: “Vá e não peques mais”. É isso que Deus quer de nós, nos restaurar e nos fazer crescer.

Dica 7 – Aprenda com as quedas

Caso você perder alguma batalha para o vício em pornografia e masturbação em meio à guerra que está travando, não permita que essa queda seja simplesmente uma queda. Aprenda com ela. Como um guerreiro que analisa o inimigo, analise como poderá não permitir que a causa da queda aconteça novamente. Trace novas metas, novos rumos, novas estratégias. Não fique chorando pelos cantos, pois isso não te ajudará em nada na batalha! Tente usar a queda para fechar mais uma brecha que existia em sua vida e aprenda como não deixar que o inimigo use essa mesma brecha para te fazer “cair” novamente.
Dica 8 – Coloque a sua comunhão com Deus em dia

Um dia um sábio disse que dentro de cada um de nós existe um lobo bom e um lobo mau. Um dos discípulos lhe perguntou qual deles era o mais forte. O sábio respondeu que era aquele que era mais bem alimentado. Alimente-se com “vitamina” pura vinda de Deus. É assim que você fica fortalecido para lutar e vencer. Comunhão com Deus ajudará e muito a vencer o vício em pornografia e masturbação, pois trará Deus para a “briga”. Deus vai te ajudar e, então, você será mais forte do que qualquer inimigo! Ore, leia a Bíblia, jejue, sirva o próximo, pratique a palavra de Deus. Mantenha sua vida espiritual nutrida.
Dica 9 – Cuidado com os seus olhos

Hoje não precisamos de muito esforço para estar diante de pornografia. Às vezes, até saindo as ruas acabamos nos deparando com ela. Homens e mulheres muitas vezes usam vestimentas tão curtas que são bem semelhantes ao que se vê nas peças pornográficas. Por isso, cuidado com os olhos. Seja prudente. Paulo nos orienta algo interessante: “fugi da impureza” (1 Coríntios 6:18). Normalmente fugir de algo parece coisa de covarde, mas não quando enfrentamos as tentações. Nesse caso, fugir significa se preservar. Se um leão viesse em sua direção e você tivesse como fugir dele não o faria? E tenho certeza que ninguém te chamaria de covarde por fugir de um leão. A mesma coisa contra o vício em pornografia e masturbação. É um leão que quer te devorar, então, treine seus olhos a fugir de tudo aquilo que te leva de volta ao vício. Fuja quando perceber que está sendo tentado e quando a vontade do vício aparecer.


Dica 10 – Se não estiver conseguindo procure ajuda

O que é melhor, ficar destruído por causa de um vício ou admitir que não está conseguindo e pedir ajuda e vencer? Aquele que é sábio certamente vai escolher a segunda opção, pois é a saída para a vitória. Se você já tentou de tudo, mas sem sucesso, gostaria de deixar um versículo e um conselho a você. Primeiro o versículo: “Confessai, pois, os vossos pecados uns aos outros e orai uns pelos outros, para serdes curados. Muito pode, por sua eficácia, a súplica do justo” (Tiago 5:16). A ajuda é muito importante. Agora quero deixar a você um conselho. Clique aqui e tenha acesso exclusivo as informações do meu método 15P (Vença a Pornografia em 15 passos).



FONTE: https://artigos.gospelprime.com.br/10-segredos-para-vencer-o-vicio-em-pornografia-e-masturbacao/

sábado, 4 de novembro de 2017

CFP e CRPs são obrigados a permitir HOMOSSEXUAIS serem atendidos por PSICOLOGOS!

GRANDE VIT'ORIA : Juiz força CFP e CRPs a interpretarem a Resolução CFP 01/99 corretamente e passar a atender todos os homossexuais que desejam deixar a homossexualidade e TRF4 nega recurso ao CFP para cancelar ordem do juiz sobre o assunto.

https://youtu.be/SVddJ7SmWDM
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...