sexta-feira, 17 de abril de 2015

VÍDEO: SEXO ANAL MATA....ISTO E' COMO BRINCAR DE ROLETA RUSSA, ASSISTA!

AULA DE UMA MÉDICA NUMA SALA DA UNIVERSIDADE... ELA NÃO É EVANGÉLICA !

ATENÇÃO... NÃO DEIXE DE VER ESTA PALESTRA

TÉCNICA.


A TRISTE REALIDADE DAS CAUSAS DA PRÁTICA DO SEXO ANAL, PRATICADO PELA GRANDE MAIORIA DOIS HOMOSSEXUAIS E ALGUNS HETEROSSEXUAIS TAMBEM.

PERGUNTA: É A PRÁTICA SEXUAL ANAL NORMAL?

DEPOIS DE VER ESTE VÍDEO, SE VC PRATICA O SEXO ANAL E NÃO TEM CONSEGUIDO SE LIBERTAR DESTA PRÁTICA E DESEJA DEIXÁ-LA PARA TRÁS, VOLUNTÁRIAMENTE, ENTÃO ESCREVA PARA:
defesa_hetero@yahoo.com PEDINDO AJUDA!

https://youtu.be/lxvQsYxiFgk



A Dra Anete Guimarães é espírita, palestrante espírita . Não é evangélica, 'crente' , o que prova que sexo gay é uma aberração

Palestra proferida pela Dra. Anete Guimarães. 

segunda-feira, 23 de março de 2015

RESULTADOS DA ADOÇÃO GAY: "Jovem criada por lésbicas diz que sentiu falta do pai e critica gays: “Seus filhos estão sofrendo""

Jovem criada por lésbicas diz que sentiu falta do pai e critica gays: “Seus filhos estão sofrendo”

Publicado por Tiago Chagas em 23 de março de 2015
Jovem criada por lésbicas diz que sentiu falta do pai e critica gays: “Seus filhos estão sofrendo”




A militância homossexual tem, entre suas principais bandeiras, a adoção homoparental como um dos pontos símbolos de sua luta por mais leis que os beneficie. Dentre os opositores dessas questões, a adoção de filhos por casais homossexuais é também um dos pontos de maior estresse. E essa semana, o debate ganhou um capítulo extremamente curioso.
Uma mulher norte-americana de 31 anos, criada por um casal de lésbicas, escreveu uma carta aberta aos ativistas gays falando de sua experiência de vida e alertando os homossexuais de que o modelo proposto por eles para criar seus filhos traz efeitos colaterais indesejados.
Intitulada “Querida Comunidade Gay: Seus Filhos Estão Sofrendo”, a carta de Heather Barwick é uma crítica aberta e pontual à adoção homoparental: “Não é porque vocês são gays. Eu amo muito vocês. É pela própria natureza do relacionamento entre pessoas do mesmo sexo”, explica a autora da carta.
No texto, Heather conta que sua mãe deixou seu pai quando ela tinha dois ou três anos e passou a morar com outra mulher, que a tratava “como se fosse sua própria filha”, porém ela sentiu falta do pai na infância.
Heather explica ainda que foi criada em um ambiente de bastante liberdade, cercada por homossexuais amigos de sua mãe e sua madrasta, porém, sofreu com a falta de referência masculina: “Casamento entre pessoas do mesmo sexo significa privar a criança de um pai ou uma mãe dizendo que não importa, que é tudo o mesmo. Mas não é”, observa.
Na carta, ela explica que teve preocupações de como seria encarar a vida matrimonial quando ela se casasse, já que não é lésbica e não sabia como seria o casamento entre dois heterossexuais: “Eu não sou gay, mas a relação que tinha como modelo antes era entre duas mulheres”, destaca, lembrando que não tem ódio dos homossexuais ou daqueles que adotam crianças: “Muitos de nós, muitos de seus filhos, estão sofrendo. A ausência do meu pai criou um grande vazio em mim e eu sofria todo dia por não ter um. Eu amo a parceira da minha mãe, mas outra mãe nunca substituirá o pai que eu perdi”, conclui. Hoje, casada, Heather tem quatro filhos.
A defesa da família tradicional vem ganhando força entre os próprios homossexuais, que acreditam que o direito dos gays em formar suas próprias famílias não torna o modelo baseado em um homem e uma mulher esteja ultrapassado ou seja prejudicial. O caso recente mais vultoso foi o da dupla de estilistas Domenico Dolce e Stefano Gabbana, que discutiram publicamente com o cantor Elton John a respeito da adoção de crianças por casais gays.

sábado, 1 de novembro de 2014

VÍDEO: "Casos de Família: Marisa Lobo e ex-travestis falam sobre abandono da homossexualidade"


Casos de Família: Marisa Lobo e ex-travestis falam sobre abandono da homossexualidade; Assista

Publicado por Tiago Chagas em 31 de outubro de 2014 

Casos de Família: Marisa Lobo e ex-travestis falam sobre abandono da homossexualidade; Assista
A psicóloga Marisa Lobo participou do programa Casos de Família, no SBT, onde falou sobre a possibilidade de um homossexual mudar de comportamento e passar a ser hetero.

O programa, popularesco, é conhecido pelas brigas e polêmicas instigadas pelos temas e pela apresentadora, Christina Rocha.

Na edição em que Marisa Lobo participou, o tema era “Existe Cura Gay?”, e além da psicóloga haviam dois ex-travestis e gays e lésbicas. Após a gravação, Marisa usou as redes sociais para dizer que “a baixaria ficou por conta dos outros convidados”.

“Nossa participação foi digna, apesar do ‘estilo’ do programa”, acrescentou Marisa Lobo.
Durante o programa, exibido no último dia 29 de outubro, Christina apresentou os convidados  e o primeiro ex-travesti, Fernando, foi homossexual por 12 anos e atualmente é casado.

Questionado pela apresentadora se existe “cura gay”, Fernando respondeu que o que acontece é uma mudança de comportamento: “Boa tarde plateia, boa tarde Christina. Na realidade, não existe ‘cura gay’, existe a transformação de um gay que estava num estado homossexual e deixou esse estado, voltou a ser hetero”, afirmou.

A psicóloga Marisa Lobo afirmou que não existe “cura gay” porque a homossexualidade não é definida como uma doença.

“Nós aceitamos a pluralidade sexual, e com base nessa pluralidade mesmo é que o meu paciente manda na terapia. Quem manda na terapia não é o Conselho de Psicologia, é o meu paciente. E a ele, é dado o direito de sigilo e de escolha. Então se ele [paciente] chega num sofrimento psíquico dentro do meu consultório, eu vou atender esse sofrimento, ainda que seja o desejo dele de mudar a sua condição, orientação e opção. O que eu não posso como terapeuta, psicóloga, é oferecer tratamento, mudança, dizer que tem cura. Eu não posso dizer que homossexualidade é doença, mesmo porque eu, Marisa Lobo, nunca disse e nunca acreditei que fosse. A palavra ‘doença’ foi retirada da Associação de Psiquiatria e Psicologia Americana já nos anos 1970. Então, nós não vemos dessa forma”, disse.

Assista:
https://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=DllTh2WMrwY

sábado, 5 de julho de 2014

Ex-lésbica conta como passou a ser atraída por outras mulheres e testemunha mudança de vida

Ex-lésbica conta como passou a ser atraída por outras mulheres e testemunha mudança de vida: “Sou liberta da homossexualidade”

Publicado por Tiago Chagas em 3 de julho de 2014 

Ex-lésbica conta como passou a ser atraída por outras mulheres e testemunha mudança de vida: “Sou liberta da homossexualidade” Uma ex-lésbica narrou seu testemunho em um artigo e revelou os motivos que a levaram à homossexualidade já na fase adulta. Christine Sneeringer apontou para os problemas afetivos com sua mãe como uma das principais causas de sua experiência homossexual.

“De repente, como um véu levantado, percebi, aos 22 anos, que o que meu pai tinha me dito há anos era verdade: Minha mãe não me amava”, escreveu Christine. Em seu relato, ela afirma que havia começado sua jornada no cristianismo quando iniciou sua trajetória na homossexualidade, coincidentemente enfrentando a crise de saber que era desprezada pela sua mãe. “Como uma jovem adulta que eu havia me tornado, estava agora tentando se conectar com a mãe pela primeira vez na minha vida”, afirmou.

As instabilidades familiares na infância, testemunhando o pai alcoólatra ser violento com sua mãe, e como reação, vendo sua mãe afastar todo e qualquer traço de feminilidade, causou em Christine a sensação de que ser feminina era ser fraca, e portanto vulnerável a agressões.

“Olhei para o meu irmão mais velho e decidi que queria ser como ele. Eu saía com ele sempre que ele deixava, usava as roupas largas e até copiei seu estilo de escrita manual. Eu queria ser qualquer coisa, menos uma menina. Preferia esportes do que brincar com bonecas. Joguei a liga infantil de beisebol quando eu tinha 10 anos e futebol americano por anos com os meninos da vizinhança”, contou.

Como resultado da falta de afeto materno, Christine disse que “tinha uma fome profunda de amor feminino”, o que a levou a associar tal desejo com o sexo em si.

A mudança de postura começou quando, em 1989, uma colega a propôs fazer uma oração num alojamento da Universidade de Tampa. “Eu não senti nada diferente, mas no fundo eu sabia que algo havia mudado. Eu sabia que eu falava sério com Deus. Tornar-me cristã não resolveu instantaneamente minha orientação lésbica”, narrou, lembrando que por muito tempo, ainda sentia atração por outras mulheres.
Tempos depois, Christine sentiu que a “mudança acontecia gradualmente de dentro para fora”, quando pôde refletir com clareza sobre seu comportamento e história de vida: “Em primeiro lugar, as crenças equivocadas sobre os homens e as mulheres foram colocadas para descansar, pois eu havia conhecido piedosas mulheres fortes na igreja, que desmantelaram com sua postura a minha crença de que ser feminina era ser fraca. Eu também conheci homens que me trataram com dignidade e respeito, o que me deu liberdade para abraçar o meu gênero. Pela primeira vez eu me senti segura como mulher. Eu até comecei a me apresentar com meu nome completo, Christine, porque eu não queria mais esconder o fato de que eu era uma menina”, escreveu no Charisma News.
Os passos rumo à heterossexualidade foram lentos, mas firmes: “Com a ajuda de Deus e o apoio de pessoas que cuidam de mim, eu tenho andado liberta da homossexualidade há mais de 12 anos. Vivemos em uma sociedade que diz que os homossexuais nascem homossexuais e não podem mudar. Mas eu sou a prova de que não é verdade, porque eu sou uma pessoa mudada e vivo uma vida transformada”, concluiu.
Atualmente Christine é escritora e palestrante, além de ser diretora-executiva da Worthy Creations, uma entidade que integra os quadros da instituição cristã Exodus International.

Fonte: GospelMais

terça-feira, 10 de junho de 2014

LIVRE PARA SEMPRE DA PRÁTICA HOMOSSEXUAL, por Marco Túlio Medeiros.


No dia 30/04/1993 eu nasci. Sou da cidade de Santa Vitória no estado de Minas Gerais, e desde minha infância sempre morei neste município, minha vida sempre foi simples, nasci em uma família simples, humilde, e cresci sem o meu pai, na verdade na minha infância nunca tive contato com ele, minha mãe sempre fez de tudo para nós trabalhando como doméstica, lembro-me de quando ia para o serviço com ela, acordava cedo e ia, depois tinha que sair correndo as pressas para arrumar e ir para a escola, desde pequeno minha vida foi meio que agitada, com o tempo passeia a ficar na creche aqui da cidade, e desde pequeno sempre gostava de brincar com meninas, estar junto delas, e comecei a querer ser como elas, fui me deixando levar por desejos que vieram batendo forte no meu coração, mesmo ainda sem entender aquilo para mim era normal.

Andava muito na rua nas casas de meus vizinhos, e colegas de rua, e desde então por uma certa feita um vizinho meu me chamou para o fundo da casa dele e começou a me molestar, eu não entendia aquilo e ele me falava que era uma brincadeira e que não ia doer, mais que eu não poderia contar para ninguém, e aquilo foi uma, duas, três e várias outras vezes, e comecei a ficar dependente daquilo, na creche ia para o banheiro com os meus colegas e mantinha relações com eles, ainda que não compreendia aquilo e achava ser normal sendo que a Bíblia a Palavra de Deus fala em Levítico 18:22: "Com homem não te deitarás, como se fosse mulher; abominação é" ainda em Levítico 20:11 diz: "Quando também um homem se deitar com outro homem, como com mulher, ambos fizeram abominação; certamente morrerão; o seu sangue será sobre eles" . Fui crescendo e me mergulhando mais e mais na lama do pecado, comecei a manter relações com amigos, colegas de escola. “Amizades” foram aparecendo e me mostrando mais e mais desta vida contrária a vontade de Deus, 

Já estava muito rebelde em casa, metia muito, enganava, vivia uma vida repleta de prostituição, com vários homens em apenas um dia, e cada vez meu corpo desejava mais e mais, satanás já vinha me usando desde minha infância, muitos dizem que nasceram assim, eu mesmo falava isto, mais isso é um mentira que satanás coloca na mente das pessoas para que elas achem que este comportamento é normal, eu pensava assim a por várias vezes quando alguém chamava a minha atenção eu dizia: eu nasci assim e vou morrer assim, mais ainda bem que Deus teve misericórdia da minha vida, senão já estaria quem sabe com uma aids, ou até mesmo morto sofrendo a mais dura punição pelo meu pecado. 

Sei que Deus tem poder para mudar a vida do mais vil pecador, basta abrirmos o nosso coração, deixar Jesus entrar e fazer a limpeza, ainda que muitos pensem que isso não pode acontecer, ou que não passe de uma farsa, eu sei muito bem o que Deus tem feito na minha vida, e já disse para Ele, que enquanto eu tiver folego de vida irei contar as maravilhas que Ele fez na minha vida, hoje vivo para este Deus lindo, perfeito, maravilhoso, eterno, único, hoje sei o que é viver uma alegria verdadeira, quando vivia naquela vida, achava que tudo estava certo, feliz, mais era tudo ilusão engano, vivia uma vida de amargura, na frente das pessoas me fazia de feliz, mais por dentro um vazio terrível que hoje esta preenchido pelo amor de Deus. 

Jesus quer mudar a sua vida, não sei o que você faz, ou fez na vida, mas temos um Deus com o poder de mudar vidas, curar, trazer vida, Ele é Deus e está disposto a mudar sua história, mais Ele te respeita e só irá fazer isto com a sua permissão, então confesse a Deus os seus pecados, reconheça que sem Ele não há salvação. Venha deixe Deus agir na sua vida, Ele quer mudar a sua casa, sua família, satanás está ai ele veio senão a matar a roubar e a destruir, não deixe ele te enganar, Jesus tem algo melhor para a sua vida, Ele quer dar paz ao seu coração, não demore, chame por Ele hoje, abra a porta do seu coração, diga à Ele que você precisa d'Ele, e você irá ver o agir sobrenatural de Deus na sua vida, chega de falsas alegrias, falsas amizades, a sua vida só será completa com JESUS... enfim este é um pouco do meu testemunho, de onde eu vim, mais tem mais, muitos mais, hoje sei que tudo que passei foi para que o nome do Senhor Jesus viesse a ser glorificado...

 Porque não me envergonho do evangelho de Cristo, pois é o poder de Deus para salvação de todo aquele que crê....

Romanos 1.16



Marco Túlio Medeiros



João 8.32
E conhecereis a verdade (a Palavra de Deus), 

e a verdade vos libertará.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...